TPA – Troca Periódica de Água na Aquaponia

Uma das vantagens do sistema de aquaponia é a economia de água. Se levarmos em consideração que a água é utilizada para irrigar as plantas, estima-se uma economia de 90%, se compararmos com a irrigação “normal”.

É importante, no entanto, estar atento à qualidade da água. Com o tempo, são grandes os riscos de se acumularem partículas que podem ser nocivas aos peixes.

Na natureza, a água se renova. Deve-se entender a natureza como um ciclo complexo, infinitamente mais completo que um sistema aquapônico simples. Existem inúmeros fatores que acabam interferindo na qualidade da água na natureza, como por exemplo o solo (e sua composição), a chuva, rios e lagos, peixes, plantas, que a todo instante trabalham de forma conjunta, permitindo que o sistema permaneça em equilíbrio.

Já em um sistema aquapônico, mesmo como um sistema eficiente de filtragem, a água pode ter sua composição alterada. Partículas que podem passar despercebidas a olho nu podem ser nocivas para os peixes e plantas. Como exemplo temos o muco epitelial dos peixes, ácidos, proteínas.

Dessa forma, é recomendado um procedimento chamado de TPA – Troca Periódica de Água. Através da TPA, pode-se dizer que a água se renova.

A TPA, em aquários, é feita com relativa frequência. Descarta-se uma porcentagem pequena de água (em torno de 10% a 20%), e completa-se com água limpa (sem cloro, por exemplo).

Essa porcentagem, onde se mantém os 80% ou 90% de água anterior, não afeta de forma significativa a biologia que já reside na água. Lembra-se da ciclagem? Das bactérias?

Os peixes são muito sensíveis à mudanças bruscas de água. Dessa forma, mantendo-se esse percentual baixo para as trocas, como periodicidade mensal, por exemplo, não há riscos significativos.

Dica 1: ao realizar uma TPA, não troque ou lave as mídias filtrantes. Nos sistemas de aquaponia, tais mídias normalmente são a argila expandida, ou as pedras brita, ou os pedaços de tijolos, onde estão instaladas as colônias de bactérias. Evita-se, assim um desequilíbrio na biologia instalada.

Dica 2: realize a TPA descartando os resíduos dos filtros, ou então, fazendo uma sifonagem simples do tanque de peixes, usando uma mangueira. Com o tempo, certos detritos podem se acumular, e não serem “sugados” pelo overflow. Caso você não tenha uma peneira simples, basta usar a mangueirina imersa na água, que ao ser colocada uma ponta para fora, irá drenar os sedimentos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *